O olhar do Serviço Social para violência doméstica: Psicológica e Sexual

Por Janaína Ferreira Santos

 

Resumo:
O presente artigo tem como objetivo identificar e fomentar os aspectos da
violência doméstica, sendo assim, conforme é caracterizado sob a Lei Maria
da Penha 11.340, outros tipos de Violência como: A moral, patrimonial e física,
enfatizando a violência Psicológica e Sexual. O olhar do Serviço Social como
ponto relevante no acompanhamento e direcionamento as redes de apoio a
mulher que sofre a violência. Sendo assim, o Serviço Social apropria – se da
escuta ativa e dos instrumentos técnicos operativos no que se refere a
demanda que lhe foi referida.
Palavras-chave: Violência Doméstica; Psicológica; Sexual; Serviço Social.

1 – Contextualização da Violência doméstica

A violência doméstica é um assunto que vem sendo discutido ao longo do
tempo, e com isso, vem causando, dores e sofrimentos a mulheres e jovens
que são agredidas pelos seus companheiros dentro do seus lares ou fora dele.
Sendo assim, vale ressaltar que todo tipo de violência não deixar de ser uma
agressão, seja ela física, psicológica e Sexual. Partindo desses pontos
relevantes a serem explanados e discutidos, a cerca da violência requer uma
atenção primordial a pessoa que sofre e punição a quem comente, o agressor.
As violências domésticas ocorrem no âmbito familiar ou do místico, entre
quaisquer dos membros da família. Destaca-se o fato de esse tipo de violência,
está sendo, aqui, referido no plural, por se tratarem de diversas formas de
violência que podem ocorrer nesse espaço.
Dentre os possíveis agressores estão: maridos, amásios, amantes, namorados
atuais, ou, até, ex namorado ou ex cônjuges conforme acima Cavalcante
(2000,p.229).

2 – Violência Psicológica e Sexual

Portanto, identificar a violência Psicológica, parte das premissas de ações que
parte do agressor que deixa a pessoa que está sofrendo a violência em estado
de vulnerabilidade.

É toda ação ou omissão que causa ou visa causar dano à auto – estima, à
identidade ou ao desenvolvimento da pessoa inclui: ameaças, humilhações,
chantagens, cobrança de comportamento, descriminação, exploração, crítica
pelo desempenho sexual, não deixa a pessoa sair de casa, provocando o
isolamento de amigos e familiares ou impedir que ela utilize seu próprio
dinheiro. Dentre as modalidades de violência e a mais difícil de ser identificada.
Apesar de ser bastante frequente, ela pode levar a pessoa a se sentir
desvalorizada, sofrer de ansiedade e adoecer com facilidade, situações que se
arrastarem durante muito tempo, e se agravado, podem levar a pessoa a
provocar suicídio. (Brasil,2001). Toda violência Psicológica, tem sérias
consequências, onde a pessoa que é acometida, passa por pressões psíquicas
e emocionais ao ponto de ser acompanhada por profissionais da área de
psicologia e psiquiatria. Os danos causados, podem ser irreversíveis, diante da
violência Psicológica.

Vale ressaltar, não só a violência Psicológica, mas também é importante
destacar a violência sexual. Para o ministério da saúde a violência sexual é
toda ação na qual , uma pessoa em situação de poder, obriga uma outra a
realização de práticas sexuais contra a vontade, por meio da força física
sexuais contra a vontade, por meio da força física da influência psicológica,
intimação, aliciamento, sedução) ou do uso de drogas.

2.1 – Acolhimento do Serviço Social a pessoa que sofreu a violência
doméstica

A visão do Serviço Social diante da violência doméstica, parte do acolhimento e
apropriação da causa da pessoa que sofreu a violência. O Profissional, segue
com a escuta ativa e segue com os instrumentos técnicos operativos para
fomentar e seguir com demanda a que lhe foi direcionada.
[…] um processo de intervenção profissional que incorpora as relações
humanas. Limita ao ato de receber alguém, mas uma sequência de atos
dentre de um processo de trabalho. Envolva um escuta social qualificada,
com uma valorização da demanda que procura o serviço oferecido, a

identificação da situação problema, não âmbito individual, mas como também
coletivo ( ibid.p,58).
O Serviço Social tem um papel fundamental na articulação ao serviços e redes
de apoio a pessoa que sofre violência doméstica. Sendo assim, é de cunho
relevante para demanda.

Conclusão:
A violência doméstica, Psicológica e Sexual, são violências acometida pelos
agressores, e com isso, a mulher agredida passa por constrangimentos e
humilhações diante da família e da sociedade. Infelizmente, é algo que precisa
ser visto de uma forma generalizada para que a as ações sejam coesas e
efetivas diante dessa mulher. São danos causados, na sua maioria são bem
agressivos. Diante disto, o Serviço Social entende que a escuta ativa e o olhar
para o acolhimento são essenciais para esse primeiro momento do
atendimento e encaminhamento as redes de proteção e cuidado. Portanto, é
importante retratar que todo atendimento prestado pelo Serviço Social, segue
na base do sigilo sem exposição a qualquer situação que parta da assistida.
Preservando a sua dignidade moral, psíquica e social.

Referências:
 CARAVANTES, L. Violência intrafamiliar em la reforma del sector salud.
In: COSTA, A.M.; MERCHÁN-HAMANN, E.; TAJER, D. (Orgs.). Saúde,
eqüidade e gênero: um desafio para as políticas públicas. Brasília:
Editora Universidade de Brasília, 2000. P.18.
 BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde.
Violência intrafamiliar: Orientações para prática em serviço. Brasília,
2001.
 SILVA JÚNIOR, A.G.; MASCARENHAS, M. T.M. Avaliação da Atenção
Básica em Saúde sob a ótica da Integralidade: aspectos conceituais e
metodológicos. In: PINHEIRO R.; MATTOS, R. A. de (org).Cuidado: as
fronteiras da Integralidade. 3ª Ed. Rio de Janeiro: UERJ, IMS:
ABRASCO, 2006. P. 241-58.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *