fundadoras-tamo-juntas-02

TAMO JUNTAS: Advogadas oferecem atendimento jurídico totalmente gratuito as vítimas de violência

Posted on Posted in Notícias
 Foto: Reprodução | Facebook

As advogadas baianas; Laina Crissóstomo, Carolina Rola, Natasha Barreto e Aline Nascimento, resolveram se unir para juntas auxiliarem mulheres que sofreram algum tipo de violência. Elas criaram o projeto ‘Tamo Juntas‘, que oferece atendimento jurídico totalmente gratuito.

Com o intuito de combater a violência contra Mulheres, o projeto ganhou voz e força em todo Brasil. Em contato com Aratu Online advogada Laina Crissóstomo, relatou que a iniciativa partiu do desejo de erradicar a violência contra as mulheres e, que advogadas de outros estados apoiaram a iniciativa e estão disponibilizando serviços de atendimento gratuitos em suas cidades como; Aracaju, Lauro de Freitas, Maceió, São Paulo, Rio Janeiro e outros.

+ Amor

“Mais Amor entre Nós” foi uma campanha realizada por ativistas feministas nas redes sociais, durante o mês de março – Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres – deste então advogadas de várias partes do Brasil estão unidas para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica a saírem do silêncio.

“Atuamos no auxilio as mulheres que estão em situação de violência doméstica em todos os aspectos em que a ‘Lei Maria da Penha’, determina, seja psicológica, moral, sexual, física, (que é a mais comum), ou violência patrimonial”, explicou a advogada Laina Crisóstomo, uma das criadoras do projeto.

Laina Crissóstomo, Carolina Rola, Natasha Barreto e Aline Nascimento (de pé)

4 thoughts on “TAMO JUNTAS: Advogadas oferecem atendimento jurídico totalmente gratuito as vítimas de violência

  1. Meu marido foi preso em flagrante de violencia domestica e está preso.
    Foi cedido pra ele defesa pela Defensoria Publica.
    A minha dúvida é, se eu preciso procurar advogado para minha defesa tambem, pois eu ja tenho uma medida protetiva expedido pela DDM da Defensoria Publica de Sao Miguel Paulista
    Tenho que solicitar defesa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *